Resenha do Livro – Casamento de Conveniência de Georgette Heyer

Tempo estimado de leitura 4 min leitura
  • Livro: Casamento de Conveniência
  • Autora: Georgette Heyer
  • Editora: Record
  • Gênero: Romance de época
  • Páginas: 336 / Ano: 2008

Sinopse:
Quando o conde de Rule pede a mão de Elizabeth Winwood, no ano de 1776, não sabe o problema que causará à bela jovem. Ela está comprometida com o admirável, mas pobre, tenente Heron. O final infeliz para essa história só pode ser impedido pela impetuosidade da irmã mais nova de Elizabeth, Horatia, que se oferece para se casar com lorde Rule.

Criticas:
Bom, sobre o romance, posso dizer que li algumas resenhas sobre a primeira edição de 2016, que criticaram o livro. Dizendo que a mocinha protagonista é sem graça, que o marido dela não tem pegada (pois é, até sobre isso eu li), mas é preciso entender que este livro foi ambientado em uma época um pouco diferente da atual. Os livros de época escritos agora tem logicamente romances bem mais apimentados, por conta de ser um atrativo para muitos leitores. E as coisas evoluem mesmo, estamos em 2021. O livro é ambientado na data de 1776 e foi lançado pela primeira vez em 1936. Tudo era muito, mas muito mais comedido, precisamos entender. Então o livro é super condizente com a época, não tem apelo sexual, é tudo muito puro, tudo muito nas entrelinhas e isso dá um charme único para este livro. Não vou ser hipócrita e dizer que talvez eu prefira romances assim, porque gosto muitos dos romances atuais também. Mas não esperem encontrar neste livro cenas tórridas de paixão entre os protagonistas e paixão à flor da pele. O máximo que acontece são beijos – e acho que contei 3 rsrs. Mas gente, isso é completamente coerente. Então, sem mais delongas, vamos para a resenha rsrs

Como o próprio nome do livro, se trata de uma história baseada em um casamento arranjado, o que acontecia muito na época. Famílias ricas e de nome se juntavam muitas vezes para aumentar fortuna e casar por amor era muito raro. O casamento era mais como um contrato do que qualquer outra coisa, na qual ambas as partes fingiam estar felizes.
É então que o Conde de Rule, aos 35 anos, resolve se casar, afinal já aproveitou bastante o estado de solteiro e precisa dar continuidade a sua herança. Escolhe como pretendente Elizabeth Winwood, uma jovem linda, de família boa e que tem a permissão de sua mãe para se casar, já que estão com muitas dividas devido o irmão mais velho ser um apostador sem muita sorte. Mas Elizabeth nutre amor por um jovem militar, e sonha em se casar com o mesmo, e não consegue se imaginar em um casamento que não seja por amor. Elizabeth não ama nem um pouco o Conde de Rule e se vê em uma tremenda enrascada, sem saber como se livrar dela, pois sua família depende desta união. Surge então em sua salvação Horatia Winwood, sua irmã mais nova, com apenas 17 anos, que resolve se oferecer em seu lugar, para se casar com o Conde de Rule. Horatia é muito corajosa e vai pessoalmente ter uma conversar com o Conde, que aceita a troca e se casa com Horatia.
Uma garota de 17 anos se casando com um senhor de 35 anos parece um pouco estranho (tá, muito estranho nos dias de hoje), mas para a época esse tipo de arranjo era super comum.

Tá certo que quando eu tinha 17 anos eu achava uns coroas por aí bem bonitos, tipo Richard Gere, Antonio Banderas, Brad Pitt, Tom Cruise, e tal. Mas vai que o cara não é tão bem-apessoado assim né? haha… Brincadeiras à parte, este casamento até que vai dando certo, e o Conde de Rule por ser muito mais velho, acaba não pressionando as coisas para o lado de Horatia e respeita o amadurecimento de sua jovem esposa. E o livro se desenrola com Horatia se metendo em confusões, muito devido à imaturidade, e algumas delas foram bem divertidas.
É um livro legal, pois traz várias menções históricas e coisas muito próprias da época e a escrita da autora é realmente ótima. Recomendo a leitura para quem quer fugir um pouco dos romances de época mais atuais e se arriscar em algo diferente 😉 .

Informações Extras:

Fonte: meulivrodocelivro

✋ YOO. LEIA o livro por aqui.