Resenha de Esplêndida, Trilogia Damas Rebeldes Livro 1 – Julia Quinn

Esplêndida é o romance de estreia de Julia Quinn e inaugura a trilogia Damas Rebeldes. Consagrada autora da série Os Bridgertons, que se tornou um verdadeiro fenômeno de audiência na Netflix, Julia Quinn já vendeu mais de 2 milhões de livros no Brasil e 15 milhões no mundo.

Sinopse:

Há duas coisas que todo mundo sabe sobre Alexander Ridgeley. Um, ele é o Duque de Ashbourne. E dois, ele não tem planos de se casar tão cedo… Isso é até uma americana ruiva se jogar na frente de uma carruagem para salvar a vida do jovem sobrinho dele. Ela é tudo o que Alex nunca pensou que uma mulher pudesse ser — inteligente e engraçada, íntegra e corajosa. Mas ela é uma criada, completamente inadequada para um duque bem nascido — a menos que, talvez, ela não seja exatamente o que parece…
A herdeira americana Emma Dunster podia estar cercada por ingleses, mas isso não significa que ela pretenda se casar com um — mesmo que tenha concordado em participar de uma temporada em Londres. Quando ela saiu sorrateiramente da casa de seus primos, vestida como uma ajudante de cozinha, tudo o que queria era um último gosto de anonimato antes de seu debute.
Ela nunca sonhou que se encontraria nos braços de um duque perigosamente bonito… ou que ele ficaria tão chateado quando descobrisse sua verdadeira identidade. Mas o verdadeiro amor tende a florescer justamente quando menos se espera, e a paixão pode derreter até mesmo o mais teimoso dos corações.

Resenha:

Emma Dunster saíra de Boston para passar um ano em Londres, na casa de seus tios e seus primos Blydon. Cansada de tanto verificar arranjos de flores para o baile no qual ela seria apresentada a sociedade de Londres, Emma se vestiu de criada e foi ajudar na cozinha, o último lugar em que sua tia iria lhe procurar. Ao se voluntariar para ir comprar ovos, ela viu quando uma carruagem vinha na direção de um menino. Sem pensar duas vezes, se atirou sobre ele para salvá-lo… e perdeu a consciência.
Quando Alexander Ridgeley viu a jovem criada salvar seu sobrinho, ficou imediatamente fascinado por ela. Após ajudá-la a retornar para casa onde ela trabalhava, ele sabia que teria que vê-la pelo menos mais uma vez. E o baile que haveria lá para apresentar a sobrinha dos Blydon naquela noite seria a oportunidade perfeita para isso. Mas ele não esperava que a tal sobrinha e a suposta criada fossem a mesma pessoa. E Alex não deixaria essa passar sem que ela lhe contasse toda a história.

Apesar dos mal-entendidos iniciais entre Emma e Alex, eles rapidamente ficaram muito ligados um ao outro. Mas todos sabiam que Alex não se casaria tão cedo.
O que para Emma não era um problema, já que ela não tinha a menor intenção de casar com um inglês. Contudo, nada disso conseguia impedir a evidente atração que havia entre eles. E com a família de ambos disposta a dar uma mãozinha para que um casamento acontecesse, a rendição ao amor seria apenas uma questão de tempo.


“Splendid” titulo original foi o primeiro livro que a Julia Quinn escreveu e devo dizer que ela começou muitíssimo bem! Adoro as mocinhas da autora, que são sempre espirituosas e cheias de personalidade. E Emma, claro, não fica atrás. Enquanto muitas pensavam em bailes e casamento, ela queria mesmo era assumir os negócios do pai. Alex é TDB. Charmoso, ciumento, possessivo e muito, muuuito encantador. É impossível não se apaixonar por ele. Uma coisa que eu adorei foi o fato de ele sempre chamar a Emma de “amor” (love, no original). E isso foi desde o comecinho do livro, quando ele nem ao menos sabia o nome dela. A primeira vez foi logo após ela salvar o sobrinho dele, assim que recobrou a consciência. Alex disse: “Consegue falar, amor?”. Juro, perdi meu coração aí. Que boba, eu sei, mas não consegui evitar, vieram a minha mente lembranças do meu casal FAV de TVD Klaroline pros íntimos. E você talvez esteja se perguntando: “mas Emma deixou que ele a chamasse de ‘amor’? Que intimidade é essa?”. Bem… ela até tentou impedi-lo assim que conseguiu falar coerentemente, mas….


“Tem certeza de que ainda não está se sentindo fraca, amor?”“Não acho que você devia me chamar de ‘amor’.”“Ah, mas eu acho que eu devia.”“Não é nem um pouco adequado.”“Eu raramente sou adequado(…)”– Capítulo 2

E Alex fez questão de dar a Emma uma amostra do quão inadequado ele poderia ser… ali na carruagem mesmo, hehe.
Os personagens secundários também são um show a parte. Os primos de Emma — Bella e Ned — e o melhor amigo de Alex — William Dunford — são importantíssimos para a história. E todos os três têm seu próprio livro dentro dessa série (relação completa no final do post). Falando no William Dunford, vocês lembram dele? Ele apareceu em “Como Se Casar Com Um Marquês”. A Nova Cultural fez uma desgraça tão grande com esse livro que transformaram o William num monstro-quase-estuprador, graças aos cortes e alterações na história. E ele não é nada disso, como podemos comprovar nessa série Esplêndida. É por isso que odeeeio quando alteram a história original. E nesse caso em particular, deu merda (desculpem aí o palavriado, mas essa foi uma situação que me tirou do sério). Ainda bem que a #arqueiro salvou o livro na edição deles.
Mas respirando fundo e voltando ao que interessa, eu estava falando sobre os personagens secundários. Além dos três que citei, uma pessoa também merece um destaque todo especial: Eugenia Ridgely, mãe de Alex. Ela é incrível, super pra frente. Morri de rir com ela. Aliás, os livros da Julia Quinn são garantia de boas risadas, e com esse não foi diferente. E ainda teve um pouco de suspense e vilania nesse livro, com um certo serzinho que tentou semear o mal. Quer dizer, é emoção que não acaba mais! E com as confusões nas quais Emma conseguia se meter, Alex não teve foi sossego. Adorei!
Pra encerrar, deixo um dos meus trechos favoritos do livro:


“Alex recuou e segurou o rosto dela em suas mãos. “Eu amo você, Emma Elizabeth Dunster Ridgely,” ele disse solenemente. “Eu te amo com todo o meu coração e toda a minha alma. Amo você como eu nunca sonhei que era possível amar uma mulher. Eu te amo como…”

—”Pare!” Emma gritou, com os olhos cheios de lágrimas.”Por que, querida?”

“Estou feliz demais”, ela disse com a voz embargada.”

“Você nunca poderá estar feliz demais. Na verdade, eu pretendo dedicar o resto da minha vida garantindo que cada dia que você viva seja mais feliz do que o anterior.”

“Eu não acho que isso será muito difícil, desde que permaneça ao meu lado.”
– Capítulo 21


O livro é ótimo como tudo que a Julia faz, recomendo muitíssimo a leitura desse livro agora que ele foi lançado no brasil pela nossa maravilhosa #Arqueiro