Jihyo do Twice inicia carreira solo

Tempo estimado de leitura 5 min leitura
Jihyo do Twice realiza uma conferência de imprensa para seu primeiro álbum solo “Zone” em Seul na sexta-feira. 
(JYP Entretenimento)

Jihyo do Twice fez sua estreia solo na sexta-feira com o EP “Zone”, se aventurando em uma nova jornada nove anos desde sua estreia.

A jovem de 26 anos é a segunda integrante do grupo feminino a estrear solo, seguindo Nayeon, que lançou o álbum “Im Nayeon” em junho de 2022.

Jihyo deu uma coletiva de imprensa em Seul na sexta-feira, algumas horas antes de “Zone” sair às 13h daquele dia.

De acordo com Jihyo, ela começou a trabalhar no álbum no ano passado.

“Quando a empresa me disse que eu faria um álbum solo no ano passado, em vez de me dar uma direção, eles me disseram para decidir o que eu queria fazer”, disse ela.

“Foi difícil escolher no início, mas trabalhando nas músicas, acabei pensando que queria fazer um álbum que pudesse mostrar novos lados de mim mesmo como vocalista. Todas as músicas são de gêneros diferentes e tentei fazer minha voz soar tão diferente quanto eu poderia para cada um deles.”

O título “Zone” é uma composição de “z”, que se refere a Jihyo, e “one”, que significa uma obra de arte completa de Jihyo, explicou a agência. O álbum é um pacote de sete faixas que abrange diferentes gêneros, do R&B ao latino, destacando a colorida paleta sonora de Jihyo. Normalmente uma cantora de tom agudo na música Twice, Jihyo foi ela baixou o tom e até tentou cantar rap em seu projeto solo.

O single principal, “Killin’ Me Good”, é centrado em mostrar Jihyo como ela é, disse a cantora. Sua voz grave e poderosa ressoa através da música, com uma melodia rítmica e groovy.

Em vez de tocar em algo completamente novo no primeiro passo, Jihyo opta pelo que ela é melhor, um hino de dança poderoso e vivaz.

“Acreditava que, como cantora, tinha que curtir minha performance primeiro para dar boa energia e emoções às pessoas que me assistiam”, disse ela. “Muitas pessoas recomendaram que eu fizesse uma balada como meu primeiro solo, mas eu queria dançar.

“Eu até disse que não faria sentido lançar um álbum solo se eu não dançasse. Minha maior alegria como cantora é dançar, me apresentar e entreter as pessoas através da atividade.”

Jihyo do Twice fala durante uma coletiva de imprensa para seu primeiro álbum solo “Zone” em Seul na sexta-feira. 
(Kim Dong-joo/The Korea Herald)

O fundador e produtor de sua gravadora, JYP Entertainment, JY Park – ele próprio um cantor e intérprete – escreveu a letra da música. Jihyo também tentou escrever suas próprias letras, mas foram as palavras de Park que melhor retrataram a mensagem da música, disse ela.

“Seu título – ‘Killin’ Me Good’ – me agarrou desde o início. Então as palavras também eram adoráveis, expressando abertamente os sentimentos de alguém, e eu senti que combinava bem com a melodia”, lembrou ela.

Expandindo o espectro e se aprofundando na musicalidade de Jihyo estão seis faixas secundárias “Talkin’ About It (feat. 24kGoldn)”, “Closer”, “Wishing On You”, “Don’t Wanna Go Back (dueto com Heize)”, “Quarto” e “Pesadelo”.

Jihyo contribuiu com todas as seis canções, incluindo a única canção lírica totalmente em inglês do álbum, “Talkin’ About It”.

Uma carreira solo é um sonho para muitos ídolos do K-pop, e Jihyo levou nove anos para realizá-lo – já se passaram quase 19 anos desde que ela se juntou à JYP Entertainment como trainee.

Mas Jihyo disse que se sente sortuda por estrear solo agora e não antes. Ao longo de seus nove anos no Twice, ela aprendeu sobre sua personalidade, no que ela era boa e como poderia brilhar melhor.

“Acredito que todos, sejam artistas ou não, têm seus próprios atrativos individuais. Pode parecer feio para alguns, mas acredito que pode agradar a outros. Tentei ao máximo me mostrar o mais naturalmente possível e, embora alguns possam achar fofo e outros, francamente, espero que cada um possa dar suas próprias interpretações como se sente”, disse ela.

Twice está estendendo sua enorme popularidade em seu nono ano, graças à sua consistência, energia positiva e química que os nove membros mostram dentro e fora do palco.

Sua proeminência aumentou recentemente no exterior, especialmente nos Estados Unidos, onde está em sua turnê “Ready To Be” desde abril.

Em julho, tornou-se o primeiro grupo feminino de K-pop a realizar um show no MetLife Stadium de Nova York.

“Eu tinha entre 8 e 9 anos quando sonhei com esse trabalho (como cantor). Sempre me imaginei fazendo parte de uma equipe e não como solista. Esse sonho se tornou realidade e recebi tanto amor até agora, estou realmente vivendo uma vida que imaginei e sou grata”, disse ela.

Seu primeiro álbum solo, “Zone”, foi lançado e Jihyo disse que seu trabalho acabou aqui.

“Já consegui tudo ao lançar um álbum com o qual estou satisfeita e que me retrata como uma cantora solo. Em vez de dizer ‘por favor, toque várias vezes’, quero dizer ‘por favor, aproveite'”, disse ela.

Ao embarcar em sua nova jornada, Jihyo esperava se tornar alguém que permanecesse fiel a si mesma, tanto como pessoa quanto como musicista.

“Embora não tenha certeza se serei amada como agora daqui a 10 anos, espero ser uma pessoa que possa ser genuinamente feliz, revelando-me como sou.”